Galvão derrota Preguiça e Gordon Ryan conquista o ouro duplo

Muitos tapas, algumas lesões, surpresas e coração de sobra por parte de todos os lutadores. Como de costume, o ADCC, maior torneio de luta agarrada do mundo, contou com grandes combates e fortes emoções neste fim de semana (28 e 29), em Anaheim, na Califórnia (EUA). Os principais destaques foram André Galvão e Gordon Ryan. Galvão derrotou Felipe Preguiça e faturou o tetracampeonato da superluta, e Gordon, por sua vez, saiu com o ouro duplo após vencer peso e absoluto, com direito a triunfo sobre Marcus Buchecha. Os dois vão se enfrentar na superluta do ADCC 2021. Cada um, vale ressaltar, também levou um cinturão do evento e o prêmio de 40 mil dólares.

Nas divisões de peso, cinco campeões brasileiros em sete categorias. Augusto Tanquinho (66kg), Matheus Diniz (88kg), Kaynan Duarte (+99kg), Bia Basílio (60kg) e Gabi Garcia (+60kg) triunfaram, enquanto JT Torres (77kg) e Gordon Ryan (99kg) levaram a medalha de ouro para os Estados Unidos. Gabi Garcia, por sinal, se tornou tetracampeã, sendo agora a mulher com maior número de conquistas na história do ADCC e empatando com Marcelinho Garcia nos títulos por peso.

Galvão impõe pressão e fatura tetra da superluta

Repleta de tensão – e alguma rivalidade -, a superluta começou com André Galvão e Felipe Preguiça trocando tapas em pé até o líder da Atos tentar um double leg e cair por cima de Preguiça. No chão, Galvão continuou colocando pressão, mas não conseguiu passar a guarda do faixa-preta da Gracie Barra BH.

Com o duelo de volta em pé, André seguiu pressionando e apostando nas quedas. Em uma delas, porém, Preguiça caiu sobre uma mesa e acusou lesão na costela. A dinâmica prosseguiu no tempo extra, com Galvão mostrando gás de sobra e tentando diversas quedas, enquanto Felipe resistia às investidas.

Em mais um ataque nas pernas, o líder da Atos finalmente conseguiu contabilizar os pontos da queda e abriu 2 a 0 no placar. A partir daí, Galvão administrou o resultado e, aos 37 anos – ele fez aniversário neste domingo (29) -, se tornou tetracampeão da superluta do ADCC, com títulos em 2013, 2015, 2017 e 2019.

Absoluto: Marcus Buchecha x Gordon Ryan

As disputas do absoluto começaram eletrizantes, com sete finalizações nas oito primeiras lutas. Nas quartas de final, Marcus Buchecha fez 3 a 0 contra Aaron Johnson, Mahamed Aly derrotou Tim Sprigs nas punições, e Gordon Ryan e Lachlan Giles finalizaram Garry Tonon e Patrick Gaudio, respectivamente. Nas semifinais, em exibições de gala, Buchecha pegou Aly com um mata-leão, enquanto Tonon estrangulou a surpresa Giles. O revés, entretanto, não desanimou o australiano Lachlan Giles, que com sua terceira chave de calcanhar no peso aberto (Kaynan, Gaudio e Aly), finalizou Mahamed e garantiu a medalha de bronze.

Dois dos principais nomes do torneio, Marcus Buchecha e Gordon Ryan tentaram de tudo um pouco na final do absoluto: trocaram posições, atacaram por cima, da guarda, mas não conseguiram finalizar nem pontuar durante o tempo normal. Na prorrogação, Buchecha passou praticamente os dez minutos em pé, sendo obrigado a buscar o ataque, enquanto Gordon defendia na guarda. No fim, uma punição para o brasileiro definiu a decisão do peso aberto e consagrou Ryan como campeão ouro duplo do ADCC 2019.

RESULTADOS COMPLETOS:

> Masculino
Até 66kg – Augusto Tanquinho derrotou Kennedy Maciel por 3 a 0
Até 77kg – JT Torres finalizou Vagner Rocha com um estrangulamento
Até 88kg – Matheus Diniz derrotou Craig Jones por 0 a 1 nas punições
Até 99kg – Gordon Ryan finalizou Vinicius “Trator” Ferreira com um estrangulamento
Mais 99kg – Kaynan Duarte derrotou Nick Rodriguez por 1 a 0 (3 pontos; 2 punições)
Absoluto – Gordon Ryan derrotou Marcus Buchecha por 0 a 1 nas punições

> Feminino
Até 60kg – Bianca Basílio finalizou Ffion Davies com uma chave de pé
Mais 60kg – Gabi Garcia finalizou Carina Santi com uma Kimura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *