Thunder BJJ lidera volta dos campeonatos de Jiu-Jitsu durante a pandemia, e organizador faz balanço: ‘Foi um sucesso’

No último fim de semana (dias 1 e 2), em São Paulo, aconteceu o primeiro campeonato de Jiu-Jitsu desde que teve início a pandemia do novo coronavírus no Brasil. O Thunder Fight BJJ adotou medidas rigorosas de segurança para evitar aglomerações e que atletas contaminados competissem. As primeiras disputas aconteceram na faixa-azul adulto, sendo ao todo quatro categorias – três masculinas e uma feminina. O máximo de atletas por divisão foi 16. As outras faixas vão competir nos próximos fins de semana, ao longo do mês de agosto.

Alexandre Oliveira, um dos responsáveis pela organização do Thunder Fight BJJ, contou que o cronograma foi seguido de forma rígida para evitar que os atletas se aglomerassem. Deste modo, cada categoria competiu em um horário já definido previamente e o competidor só pôde se apresentar na hora determinada. Ao chegar no local da competição, o atleta e o professor eram testados para o novo coronavírus. Se o resultado fosse negativo, eles eram encaminhados para o vestiário e só saíam de lá na hora de lutar. Quem perdia, automaticamente tinha que deixar o ginásio, enquanto o vencedor era deslocado para um ambiente isolado. Segundo o evento, nenhum atleta testou positivo para a Covid-19.

Confira abaixo o calendário do Thunder Fight BJJ:
8 e 9 de agosto – faixa-roxa
15 e 16 de agosto – faixa-marrom
22 e 23 de agosto – faixa-preta

Alexandre informou que todos os atletas envolvidos no evento tiveram um seguro de vida custeado pela organização. No trajeto de casa até a arena, durante a competição e no retorno para o lar, os competidores estavam assegurados caso acontecesse algo. O organizador comentou a experiência deste primeiro campeonato em meio à pandemia e garantiu que todos os envolvidos foram testados para o coronavírus.

“Tudo saiu conforme o previsto até pelo fato de termos tido bastante tempo para estruturarmos o evento. Queríamos voltar, mas não de qualquer forma. Para voltarmos de forma segura como o UFC e o BJJ Stars, seguimos o exemplo dos eventos que estão voltando. Fomos extremamente chatos em nossos critérios para não deixarmos um público grande na arena. Só chegava quem iria lutar e por horário, e foi um espaço de tempo grande entre as categorias. Trabalhamos o dia todo sem aglomeração. Foi um sucesso”.

Sem a presença do público, o Thunder Fight BJJ contou com a venda de pay-per-view. Saiba mais, AQUI.

Confira abaixo os resultados na faixa-azul:

Feminino / Adulto / Leve

Campeã: Beatriz Gutierrez Campos (Lotus Club)
Vice: Natália Chiarotti Netto de Sousa (Guigo JJ)
Terceira: Thaina Maia (Barbosa JJ)

Masculino / Adulto / Leve

Campeão: Oilson Valdinei Alvim Junior (PSLPB Cícero Costha)
Vice: Marcos Paulo de Amorim Pinheiros (Projeto Drive-in)
Terceiro: Vitor Daniel (Rocha Jiu Jitsu)

Masculino /Adulto / Médio

Campeão: Higor Silva (Almeida JJ)
Vice: Gabriel Santos de Oliveira (Elenco Zotovici)
Terceiro: Willian Arimura (Almeida JJ)

Masculino / Adulto / Pesado 

Campeão: Otávio Sousa (Almeida JJ)
Vice: Kaue Gustavo Morgado (PSLPB Cícero Costha)
Terceiro: Hélder Henrique Salomão da Silva (Morumbi Academy)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *