MVP busca 100% de aproveitamento no Open FC 2

4 atletas brasileiros entram em ação pelo evento russo no próximo fim de semana

Uma das agências que vem ganhando cada vez mais espaço dentro do cenário brasileiro, a MVP surgiu com o propósito de dar maior visibilidade e suporte aos atletas que tanto sofrem e buscam por uma oportunidade dentro do cenário nacional de MMA.

Principal responsável por colocar 4 brasileiros na segunda edição do Open FC, evento que acontece no próximo sábado na Rússia, Thiago Custódio, idealizador e fundador da MPV falou sobre a expectativa para os lutadores que atuam no dia 20 de fevereiro:

— A expectativa é de 4 vitórias. Todos estão bem preparados e focados, o camping sempre é realizado com antecedência e qualidade, então as expectativas são as melhores possíveis. Estamos muito ansiosos pela luta do Carrasco, que já na segunda edição do evento já fará o evento principal da noite, sem dúvida uma vitória irá colocá-lo bem próximo do cinturão — declarou o empresário Thiago Custódio.

Atleta da MVP, Elismar Carrasco vai enfrentar Viktor Kolesnik na luta principal do evento. Além do goiano, a segunda edição do Open FC ainda vai contar com outros 3 brasileiros, Jonas Boeno, Mateus Raposinha e Leon Ogro completam o “exército” brasileiro no card.

Observando de perto a evolução e o desenvolvimento de cada atleta que faz parte da MVP, Thiago falou sobre como é dado o suporte aos lutadores que compõem a agência:

— A autonomia em relação aos treinos, estratégia fica com o lutador e o treinador. A MVP apoia financiando algumas despesas relacionadas ao camping, como: suplementação, despesas de viagens, exames, consultas. Esse é um diferencial da nossa agência. O máximo que pudermos investir para acelerar a carreira do atleta a gente investe.

Em busca de proporcionar aos atletas uma maior visibilidade fora do país, a MVP levou para a primeira edição do Open FC, Wildemar Besouro, protagonista de uma das melhores lutas do evento.

De olho nos novos talentos do MMA nacional, Thiago Custódio falou sobre a importância do atleta em lutar fora do país, visto a grande dificuldade dos eventos nacionais em proporcionar uma maior valorização financeira aos lutadores:

— No momento sim, temos que aproveitar a desvalorização do real para tentarmos colocar os atletas para lutar fora com bolsas em dólar. Isso sem dúvida vai proporcionar uma receita bem mais atrativa para os lutadores. E esse é o nosso principal objetivo, fomentar uma remuneração para que os atletas consigam viver do MMA de forma digna — finalizou Thiago.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *